Finanças

Como avaliar uma empresa?

23/04/2014 • por meuSucesso .com

Confira como avaliar a sua empresa para a venda e compra. Veja quais são os fatores de avaliação para calcular o valor de venda.

Conhecer o valor de uma empresa e o que determina tal valor são formas inteligentes de tomar decisões sobre investimentos. No momento de negociação, saber como calcular o valor de uma empresa torna-se um diferencial, portanto. Para realizar a avaliação de empresas há vários métodos e modelos diferentes, que variam de acordo com o propósito da análise. Existem os que mostram como avaliar uma empresa para venda ou compra, como avaliar uma empresa pelo faturamento, como avaliar uma empresa de serviços, entre outros. Além disso, há profissionais dedicados especificamente à análise de instituições e à compatibilização dos modelos à realidade de cada organização.

Por ser uma atividade complexa, não há como estabelecer apenas um modelo de avaliação, mas é possível  destacar algumas questões a serem consideradas em qualquer contexto de análise desse tipo. Primeiramente, é preciso estar ciente de que há vários modelos disponíveis, como já citado. De acordo com Aswath Damodaran, autor do livro "Avaliação de Empresas", pode-se realizar a avaliação pelo fluxo de caixa descontado, avaliação relativa e modelo de precificação de opções. No âmbito de cada um desses métodos, há ainda vários outros, dentre os quais um deve ser escolhido.

Essas escolhas precisam ser guiadas pelas características da empresa avaliada, principalmente nível de lucros, potencial de crescimento, fontes de aumento de lucros estabilidade de alavancagem e política de dividendos, segundo Damodaran. Encontrar um modelo compatível com a empresa e suas peculiaridades é tão importante quanto a compreensão dos modelos, colocação correta dos dados e análise das informações colhidas.

 

Como avaliar uma empresa?

Considerando essas questões, aqui estão sete passos para melhores avaliações de empresas, que podem ser aplicados em qualquer contexto de análise:

  1. Minimize o viés no processo de avaliação - o problema da maioria das avaliações é o viés que permeia o processo. Os analistas que trazem fortes visões preconcebidas sobre a situação de uma empresa subavaliada ou superavaliada ou têm a sua compensação financeira ligada aos resultados da avaliação, provavelmente geram análises que refletem essas distorções. Melhorar os modelos de avaliação é uma forma de minimizar tais distorções.
  2. Use modelos simples. Embora as novas tecnologias possibilitem o uso de modelos complexos, os modelos que exigem menos informações podem terminar sendo os mais claros, muitas vezes.
  3. Respeite as leis básicas da economia. Não respeitar essas leis gera erros grotescos em avaliações. Considerar que uma empresa crescerá numa taxa maior à da economia, por exemplo, sem critério que comprove isto, gerará uma avaliação duvidosa.
  4. Evite enfeitar as avaliações. Não acrescente elementos que não podem ser comprovados, apenas para conseguir um valor vantajoso para quem está vendendo ou comprando (dependendo da situação). Mantenha a avaliação fiel à realidade da empresa. Hipóteses de crescimento ou lucro devem ser tratadas como tal.
  5. Lembre-se de que não há duas empresas idênticas. Muito da avaliação relativa tem a ver com a premissa de que se pode identificar empresas que se parecem com a que está sendo avaliada. Na realidade, não há duas empresas iguais, portanto o conceito de empresa comparável é subjetivo. Por isso, é necessário lembrar que as diferenças entre as empresas comparadas é que estabelecerão o tom das análises.
  6. Conte uma história, mas analise os dados. Contar uma história para justificar por que uma empresa deve ser negociada por este ou aquele valor é válido, mas precisa haver apoio dos dados. A justificativa "narrativa" por si só apoiará as preconcepções sobre a empresa. Por isso é preciso analisar cuidadosamente os dados, verificando se a história contada faz sentido e provendo detalhes que a comprovem.
  7. Cuidado com os puristas. Para cada tipo diferente de abordagem de avaliação de empresas, há puristas que exigem o uso imutável de seus métodos preferidos. Porém, a avaliação não se beneficia de regras absolutas e nem se presta a elas. O ideal, então, é unir bom senso, pragmatismo e flexibilidade para adaptar as regras de acordo com as demandas da análise, sem alterá-las, mas buscando encontrar o melhor e mais claro resultado. 

 

O que é valuation?

Valuation é um termo em inglês, significa ‘Avaliação de Empresas’. O valuation é o processo de estimar o valor de uma empresa, ou seja, é ponderar quanto uma empresa vale, determinando seu preço justo e o retorno de um investimento em suas ações. Esse valor vai além do que há em estoque, a quantidade de clientes, e o preço dos produtos ou serviços comercializados, o valuation é uma junção de tudo aquilo que o seu negócio tem e também o que é capaz de oferecer para um possível investidor, sócio ou comprador.

Durante a construção de um laudo de valuation, é necessário fazer uma análise financeira completa da empresa e de seu setor, o que possibilita perceber as falhas, compreender o comportamento da empresa diante dos concorrentes, analisar diferentes cenários e o risco do investimento e, além disso, evidenciar uma necessidade de capital que pode ajudar durante a tomada de decisões de um gestor.

Esse processo envolve certa dose de subjetividade no julgamento do empreendedor ao definir premissas e selecionar fontes de dados. Por isso, a confiabilidade do resultado depende da percepção do mercado e da lógica embutida nas decisões do empreendedor.  Um empresa jovem pode ter dificuldade em encontrar o valuation, pela falta de históricos.

Uma empresa pode ser avaliada em diversas ocasiões e por diferentes motivos: para fins contábeis, depois da realização de uma transação ou aquisição, além de processos judiciais, por exemplo, nos quais os bens precisam ser divididos.

 

Avaliação de empresa

Calcular o valor de uma empresa é uma tarefa complexa e, o ideal, é ir em busca de profissionais que tenham experiência no assunto.  Para ter noção de como calcular o valor da sua empresa, é bom começar com a percepção de valor que ela possui. Antes de partir para o cálculo em si, é importante que ter em mente do poder que sua empresa tem. Isso será um dos fatores primordiais para negociar o valor dela com um investidor, por exemplo.

Mesmo que você não queira vendê-la por completo ou que não queira vendê-la agora, é bom ter noção do quanto sua empresa é valorizada. O principal critério para o cálculo é pensar que a empresa não deve ser avaliada somente pelo que ela é agora, mas o potencial dela no futuro. Fazendo uma análise de posição no mercado, o contador ou a empresa de consultoria terá uma base do valor patrimonial do estabelecimento a ser vendido.

 

Principais métodos de avaliação de empresas

Para calcular o valor de uma empresa, diversos métodos de avaliação podem ser escolhidos. Isso vai dependeer do tamanho da empresa, do objetivo da venda e fatores externos. Pode-se escolher o que melhor atende às necessidades do empresário.

  1. Contábil: Com base no valor de patrimônio líquido no balanço patrimonial;
  2. Liquidação: Calcula-se os bens menos dos direitos. + Imobilizados + Direitos – Deveres. Este método é simples de se calcular, porém, limita-se aos imobilizados e não considera outras informações como, por exemplo, a carteira atual de clientes da empresa;
  3. Mercado: É o valor da empresa de capital aberto com base no valor das ações no mercado. Preço das ações X Número de ações;
  4. Múltiplos: valor com base em empresas semelhantes e transações já realizadas. N x Faturamento, N x Ebitida. A avaliação por múltiplos não contempla, entre outras coisas, as possibilidades de crescimentos futuros do segmento;
  5. Fluxo de caixa descontado: Método mais completo, considera fatos históricos imobilizados, lucros, projeções de mercado, clientes, marca e riscos.

Ultimamente, o fluxo de caixa descontado tem sido o método de avaliação de empresas mais utilizado porque oferece, ao mesmo tempo, dados relevantes para o cálculo de Valor Presente (VP) e leva ainda em consideração os cenários econômicos projetados em um ambiente macroeconômico. Com o fluxo de caixa descontado é possível verificar tanto os ativos tangíveis quanto os intangíveis de uma companhia. Serão levadas em conta todas as premissas de captação de novos clientes, as precificações que serão praticadas, toda a parte tributária, os custos operacionais, as despesas comerciais e administrativas, além do capital de giro e investimentos.

 

Para que serve a avaliação de empresas?

 A Avaliação de Empresas além de ser uma importante ferramenta gerencial, é necessária em diversas situações, tais como:

  1. Compra e venda de empresas e negócios;
  2. Dissolução ou formação de sociedades
  3. Alteração na estrutura societária;
  4. Para saber se um investimento é bom
  5. Interesse em comprar, vender ou transferir uma participação societária ou cotas;
  6. Benchmark para comparação de empresas de um mesmo setor;
  7. Inserção em planos de negócios para apresentações à: bancos, privaty equity, angels capital, capital semente, investidores, projetos acadêmicos etc;
  8. Previsão de valorização de um negócio ainda em fase de projeto;
  9. Controle e monitoramento do desempenho das ações estratégicas adotadas;
  10. Planejamento Patrimonial de Distribuição de Dividendos.

Conteúdo desenvolvido pelo Administradores.com exclusivo para o meuSucesso.com

Experimente por 7 dias grátis

Aprenda sobre vendas no meuSucesso.com. Experimente por 7 dias grátis.

Comentários