Na imagem, empreendedora começando um negócio.
Empreendedorismo

Atividade empreendedora responderá por 50% das vagas de emprego em 2018, aponta estudo

20/04/2018 • por meuSucesso .com

Pesquisa do Santander prevê que pequenos negócios e autônomos deverão gerar 1 milhão de postos de trabalho ao longo do ano

O empreendedorismo deverá ser a locomotiva que puxará a retomada dos empregos em 2018. De acordo com um estudo do Banco Santander, dos 2 milhões de postos de trabalho a serem gerados ao longo de 2018, 1 milhão estarão em micro empresas e empreendimentos individuais.

Os dados levam em conta a expectativa de aumento na quantidade de trabalhadores ocupados no Brasil e crescimento projetado no número de novas empresas.

De acordo com a pesquisa, a abertura de pequenas empresas e o empreendedorismo individual devem ser as alternativas para brasileiros que estão desempregados e não conseguem recolocação profissional.

O banco estima que 2,5 milhões de novas empresas sejam criadas no Brasil em 2018, com um aumento na taxa de ocupação de 2,2%.

Em 2017, a parcela de trabalhadores que atuavam por conta própria ou em microempresas era de 33%. Esse percentual deve subir para 50% em 2018, segundo a pesquisa.

O estudo do Santander confirma as projeções da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (PNAD); no último trimestre, 977 mil trabalhadores ingressaram no mercado de trabalho como microempreendedores ou empreendedores individuais. No período, a taxa de desemprego foi de 12,6%, totalizando 13,1 milhões de pessoas desempregadas.

Cases

Histórias de superação são comuns entre empresários que começaram em situação de adversidade e fundaram negócios milionários.

É o caso do empreendedor Flávio Augusto, fundador da Wise Up e sócio majoritário do Orlando City, hoje avaliado em R$ 1,6 bilhão após apenas três temporadas na MLS, liga norte-americana de futebol. Recentemente, uma fatia de 8,63% do clube norte-americano foi vendida para a holding Fridberg Mercantile Group.

Outro exemplo é Caito Maia, criador da marca de óculos e acessórios Chili Beans, que já foi tema de estudo de caso no meuSucesso. O empreendedor vendia óculos importados para amigos e hoje é dono de uma das maiores marcas do mundo no segmento, com um faturamento de R$ 500 milhões por ano e que gera 3,5 mil empregos diretos.

Comentários