Empreendedorismo

INSIGHT: quem disse que você tem que seguir o fluxo?

25/06/2015 • por meuSucesso .com

Não seja normal, esteja entre os que são diferentes e fazem a diferença

Você já parou para pensar no significado real da palavra “normal” ou “normalidade”? Quando classificamos alguém como “normal” já estamos reduzindo o seu potencial. O que aprendemos com o meuSucesso.com e com os Estudos de Caso dos empreendedores é que para atingir o sucesso e alcançar seus objetivos é preciso, em muitos casos, renunciar a “normalidade” para assumir outro tipo de postura: a de não seguir o fluxo.

No programa Insight desvendamos todas as particularidades e vamos a fundo em cada detalhe, desde a história até as dificuldades e planos futuros do empreendedor estudado. Nesta semana, lançamos o episódio 5 do Estudo de Caso de Caito Maia, fundador da Chilli Beans, e podemos tirar diversos insights dessa trajetória emocionante.

Errar é humano. Aprender com o erro é para poucos

A Chilli Beans hoje é conhecida como uma das maiores redes brasileiras de óculos escuros, consolidada no mercado, faturando mais de R$ 4,5 milhões ao ano. Os números da empresa são de impressionar tanto é que em 2012 a Gávea Investimentos, reconhecida internacionalmente e pertencente ao ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga, comprou em torno de 30% das ações da Chilli Beans.

Dados como esse revelam o poder, influência e consolidação da marca. Porém, anos atrás quando a Chilli Beans ainda não existia, uma pequena empresa quebrava. Era a Blue Velvet, atacadista de óculos, que atingia boas vendas, mas não gerava fluxo de caixa, pagando à vista seus fornecedores e vendendo a prazo no atacado. Toda essa experiência foi vivenciada por Caito Maia que aprendeu com seus erros e posteriormente criou a Chilli Beans. O empresário não desistiu de sonhos, aprendeu com os erros e a falência não foi suficiente para acabar com seus planos.

Para empreender eu tenho que estar acima do normal

Estar na média, entregar um trabalho, um projeto ou realizar uma tarefa com o simples objetivo de “dar o que foi pedido” pode evidenciar algo que a maioria tenta esconder: comodismo. Poucas pessoas se esforçam realmente para entregar algo além do que foi solicitado. É muito fácil aceitar e não querer fazer a mais do que é proposto. Porém, quando fazemos isso, estamos admitindo que não somos capazes. O que diferencia o profissional e a pessoa bem-sucedida é o quanto se está disposto a chegar ao objetivo e sonho.

Comentários