Gestão

A genialidade da ignorância

30/05/2016 • por Paulo Campos

Um ignorante pode ensinar a outro ignorante o que ele próprio não sabe!

A principal responsabilidade de um líder é desenvolver pessoas. Essa tarefa diária e fundamental para a perpetuação do negócio/ empresa, muitas vezes assusta um líder novato. Semana passada ao dar aula a um grupo de líderes com menos de 1 ano na “nova função” ouvi de um aluno a seguinte pergunta: O que devo fazer se um liderado me perguntar algo e eu não souber? De bate pronto respondi: Diga que não sabe, vá pesquisar e tente aprender com pessoas da sua rede de relacionamento.

A ignorância é aliada ao desejo de explorar novas possibilidades, sua disposição de se desapegar de seu conhecimento e acolher a ignorância será crucial na adoção de novas formas para desenvolver pessoas. Perceba que para a criação de um conhecimento novo e imprevisível é necessário a combinação de um saber existente e da decisão consciente de ser ignorante, de não ter as respostas nem tentar prevê-las. Jim Collins – um dos atuais pensadores sobre liderança reforça essa ideia ao afirmar que a última fronteira da liderança é a humildade.

Paulo Freira, educador brasileiro, dizia que a ignorância é libertadora! “O educador já não é o que apenas educa, mas o que, enquanto educa, é educado, em diálogo com o educando que, ao ser educado, também educa. Ambos, assim, se tornam sujeitos do processo em que crescem juntos e em que os 'argumentos de autoridade' já não valem. Em que, para ser-se funcionalmente, a autoridade, se necessita de estar sendo com as liberdades e não contra elas. ”

Todo mundo pode ensinar alguma coisa a alguém! Um líder quando aprende com seus liderados também contribui para a inclusão, reforça o vínculo e reconhece a contribuição da sua equipe para a solução de problemas. Lembre-se que a ignorância precisa de estrutura, regras, escuta atenta para gerar resultados. A ignorância por si só lhe possibilita ouvir ideias novas que as pessoas podem ter, e quando associada a escuta atenta, consegue ajudar as pessoas a mergulhar profundamente em si mesmas e criar novas formas de pensar.

Aqui vai uma dicaduka: quando seu liderado retornar de um treinamento em vez de pergunta “O que você aprendeu? ” Pergunte a ele: O que você pode me ensinar? ” E perceba que ao abrir mão do controle a postura do seu liderado será motivadora e inspiradora.

Mochila nas costas e até a próxima trilha!

Comentários

Quem escreve

Paulo Campos

Professor em Insper

Tem 20 anos de experiência em soluções de aprendizagem (Ensinar, Aprender e Liderar). Desde 2000 já realizou mais de 1.800 palestras para 80 mil pessoas nos temas relacionados ao comportamento humano nas áreas de liderança, aprendizado de adultos e gestão de pessoas. É Mestre em Psicologia da Educação/PUC, Pós-graduado em Marketing e Comunicação/ESPM.