Gestão

Sofia Esteves reflete sobre o talento que todo empreendedor busca

21/08/2015 • por Sofia Esteves

Na coluna, a empreendedora faz um check-list do que é preciso para um empreendedor conquistar o sucesso

Até pouco tempo, para contratar bem bastava ter como critérios: formação sólida, experiência profissional e histórico de bons resultados. Mas com um cenário econômico complexo, negócios voláteis e novas demandas – inesperadas e desconhecidas – essa equação deixou de fazer sentido (ou pelo menos o mesmo sentido). Assim como um produto ou serviço que fez sucesso até hoje pode perder consumidores de uma hora para outra com o surgimento de alternativas inovadoras, o que fazia alguém competente e bem-sucedido ontem já não é mais suficiente. 

Por isso, o alvo das empresas atualmente está em profissionais com alta capacidade de adaptação e com veia empreendedora. Sei que isso é música para os ouvidos de todos nós, empreendedores, mas essas características nunca foram tão cruciais. Mais do que ter 15 anos de experiência ou ter passado pelas mais renomadas instituições de ensino país afora, buscamos quem pode entregar bons resultados e fazer acontecer em um cenário tão dinâmico quanto incerto.

Para saber o que você precisa observar antes de qualquer contratação, preparei aqui uma espécie de check-list do empreendedor. O candidato mostra evidências de:

•    Engajar e influenciar colegas de equipe (em diversos níveis)? 
•    Entregar além do solicitado?
•    Não ter resistência a mudanças?
•    Assumir a liderança de projetos espontaneamente?
•    Comunicar-se de forma clara e contagiante?
•    Engajar e influenciar colegas de equipe (em diversos níveis)? 
•    Possuir um inconformismo constante
•    Preocupar-se mais com a solução do que com o problema?
•    Ter o que chamamos de dor de “dono”, assumindo integralmente a responsabilidade por suas tarefas e também pelo resultado combinado de outras áreas.

Se você tiver dificuldades de verificar evidências de mais de 3 dessas habilidades, vale a pena optar por novas avaliações (para tentar aprofundar sua análise) ou eventualmente avaliar outros candidatos. Afinal de contas, quanto mais essas atitudes estiverem incorporadas na atuação do profissional, maiores serão as chances de esse casamento – entre o candidato e a sua empresa – dar certo. 

Boa sorte e boas conversas!

Comentários

Quem escreve

Sofia Esteves

Presidente do Conselho em Grupo DMRH /Cia. de Talentos

Fundadora e presidente do Conselho do Grupo DMRH, compartilha neste espaço o que há de mais novo em carreira e gestão de pessoas. Ideias, reflexões e tendências para impulsionar o desenvolvimento pessoal dos empreendedores e de sua equipe.

Mais Colunas