Gestão

3 empresas que foram bem-sucedidas no processo de sucessão

26/07/2016 • por meuSucesso .com

Livraria Cultura, JR diesel e Grupo Algar: vja o que essas empresas fizeram para dar continuidade ao legado construído

Normalmente quando se constrói um negócio espera-se que ele seja perene e tenha continuidade ao longo dos anos e, consequentemente, das décadas. Porém, para isso é preciso ter uma boa estrutura e sócios preparados para assumir a responsabilidade. Além disso, a gestão é essencial e, normalmente, quando a empresa é passada de pai para filho e nasce com estrutura familiar é preciso separar muito bem os assuntos familiares dos profissionais.

Mas, nem sempre as coisas acontecem da forma como são planejadas. Segundo estudo de 2014 da PwC, apenas 11% das empresas brasileiras possuem planos de sucessão bem estruturados e documentados. Muitas delas não estão preparadas para situações que podem prejudicar a longevidade dos negócios.

De olho nesse dado e nessa situação da realidade brasileira, o meuSucesso.com traz três exemplos de negócios que foram bem-sucedidos na tarefa da sucessão. Confira:

Livraria Cultura

Nos anos 1940, após chegar ao Brasil fugida do nazismo, uma senhora chamada Eva Herz iniciou um negócio um tanto peculiar: alugava livros escritos em alemão para sobreviver. Em pouco tempo, seu público - imigrantes alemães que, como ela, também encontraram abrigo em São Paulo - começou a pedir que ela começasse a comercializar publicações. E assim surgiu o que hoje é a Livraria Cultura.

Do pequeno espaço compartilhado com uma bomboniere na Rua Augusta até o império que a Cultura se tornou hoje, diferentes gerações da família Herz contribuíram para sua edificação. Atualmente, a companhia tem investimentos externos, uma governança profissional estruturada, mais de 2 mil funcionários e presença em oito estados do Brasil.

Foi com o peso de administrar toda essa história que Sergio Herz, neto de Eva, assumiu em 2011 a missão de comandar a companhia, assumindo o posto que, até então, era do seu pai, Pedro Herz, desde a década de 1960. E, como ele próprio destaca, o fato de ter recebido uma empresa consolidada, em crescimento e num momento de boom do setor não tornou as coisas mais fáceis. Pelo contrário.

Sérgio entrou no negócio da família aos 15 anos, como estagiário. Ele trabalhava durante a tarde como estoquista e acaba atuando como vendedor das 18h às 20h. Depois de um breve período fora da empresa, ele voltou em definitivo aos 20 anos e nunca mais saiu. Ele atuou em praticamente todas as funções da companhia antes de se tornar presidente e a conhece como poucos.

Essa história foi contada em um de nossos programas, o Insight Lite, e está disponível aos nossos alunos para ser apreciada! Na entrevista que Sérgio Herz concedeu a Sandro Magaldi, CEO do meuSucesso, aprendemos algumas lições importantes, elas são:

Ter consciência de que quando se torna presidente, você é responsável por tudo, inclusive os erros, mesmo que não sejam cometidos diretamente por você.

Saber que o sucesso é passado. Ou seja, saber que, embora seja recompensador saber que suas ações deram certo, elas já passaram e que existem novos desafios a serem superados.

Saber que bons empreendedores, administradores e profissionais em geral mais erram do que acertam, porque tentam mais.

Jamais parar de estudar, algo que muitos profissionais acabam deixando de lado depois que consolidam a carreira ou um negócio.

JR Diesel

A JR Diesel é uma empresa especializada em reciclagem de caminhões, também conhecido como desmanche legal. A empresa é uma das precursoras do Brasil neste segmento e ajudou o governo a regulamentar as empresas e a atuação no setor. O negócio foi fundador por Geral Rufino, que entregou a expansão do negócio aos filhos e, hoje, Arthur Rufino é CEO da companhia comandando a empresa. Pra quem ainda não viu o Estudo de Caso da JR Diesel vale a pena, ainda mais para entender e aprender com um negócio de família e a gestão diferenciada realizada pelos empresários.

Arthur Rufino compartilhou com a nossa equipe algumas dicas para fazer uma sucessão bem-sucedida. Veja:

Respeite o legado

Anos de erros, acertos e melhorias da empresa familiar não podem ser desconsiderados por conta de alguns pontos negativos que você enxerga na atual gestão. Todo esse legado foi responsável pela construção da cultura que trouxe a empresa até o presente momento, por isso respeitar esse legado não é apenas uma questão de facilitar a sucessão, mas de inteligência em aproveitar todo o alicerce e preocupar-se apenas em construir inovação e aprimoramentos.

Recue, respire, repita

Não será fácil implantar suas ideias, aceite isso. São anos de uma cultura moldada no perfil da atual gestão, mas existe um caminho para acelerar esse processo e torná-lo menos doloroso. Quando uma ideia for vetada, em primeiro lugar recue e avalie se ela realmente é boa ou se seus argumentos são fracos. Em seguida, respire para se livrar da ideia de que houve cisma, preconceito ou qualquer outro motivo irracional para o veto. Por último, repita a abordagem com melhores argumentos e considerando os pontos levantados no último veto. Deu errado? Comece de novo!

Prepare-se

Seja você um sucessor com perfil idêntico ou totalmente oposto ao do atual gestor, é sua obrigação ter em sua caixa uma variedade adicional de ferramentas em relação ao que já há na empresa. O ideal é que o sucessor venha para dar continuidade e agregar, não para substituir. Seja com faculdade ou vivência em outras empresas ou culturas, entregue mais do que a empresa já tem e você será indispensável para a perpetuidade dela.

Livre-se da vaidade

Não queira ser o dono da ideia ou daquilo que deu certo. Se você trouxe inovação e ficou chateado porque o gestor levou a fama, saiba que você está com mais foco na sua vaidade do que no sucesso da empresa. Se no final todas as suas ideias forem implementadas com sucesso e a empresa saltar aos olhos do mercado, você terá perdido a chance de ser a cabeça da sardinha, mas estará sendo o rabo da baleia. Quer vaidade melhor do que bons resultados?

Paciência

A sucessão não é um evento, mas um processo. Planeje seus passos rumo à gestão e dê suporte ao atual gestor sobre seu futuro pós sucessão. Já parou para pensar que toda a sua ansiedade pelo momento em que você sentará na ponta da mesa também pode estar passando pela cabeça do atual dono da cadeira? Uma forma muito amigável de criar um ambiente de sucessão é a criação de um conselho consultivo, onde o atual gestor pode sentir não apenas o gostinho de participar da gestão na posição de conselheiro, mas também de ouvir outros conselheiros externos convidados que trarão diferentes experiências para o negócio, aumentando a segurança de que o sucessor terá mais apoio do que recebe hoje.

Grupo Algar

A Algar, próxima empresa a ser analisada em nosso Estudo de Caso, é um exemplo de um negócio familiar que prosperou durante os anos ganhando proporções gigantescas, expandindo-se e chegando hoje aos 23 mil associados para atender mais de 2 milhões de clientes oferecendo soluções para empresas e pessoas por meio da atuação nos setores de Telecomunicação, Agro, Serviços e Turismo.

Hoje, a empresa já está na terceira geração e passou de pai para filho e, consequentemente, para o neto – que hoje é o CEO do negócio. Tudo começou a mais de 80 anos, quando em 1919 chegava ao país um imigrante português.  Ele trabalhou como servente de pedreiro, ferreiro e mecânico.

Muitos anos se passaram e na década de 30, esse senhor, de nome Alexandrino Garcia, começou seu primeiro empreendimento que posteriormente, durante as décadas, tomaria proporções gigantescas quando seu filho, Luiz Alberto Garcia, assumiu e deu continuidade ao negócio do pai, expandindo e sendo responsável por um crescimento agressivo.

A Algar passou a atuar em diversas frentes e iniciou o investimento em gado e terras. Hoje, a empresa é produtora de soja, milho, entre outros produtos. Oferece soluções de tecnologia para empresas e pessoas, atuando também no turismo com o Grupo Rio Quente.

Hoje, a empresa é comandada por Luiz Alexandre Garcia, que tem missão de levar o legado do avô e do pai a outros patamares, como também manter a cultura de inovação que foi enraizada em todo o Grupo.

No mês de agosto, vamos estudar a fundo a história do Grupo Algar e traremos Luiz Alberto Garcia para bater um papo com Sandro Magaldi, CEO do meuSucesso, e você irá conferir tudo isso em nosso Estudo Caso, que entra no ar na segunda-feira (01/08) às 20hs! Além disso, na outra semana, no dia 08/08, faremos um evento no Cinéplos do Shopping JK com uma produção cinematográfica onde os participantes poderão conhecer de perto o empreendedor. Tá esperando o que? Saiba mais!

Informações adicionais

Pré-estreia do Estudo de Caso de Alair Martins – garanta a sua vaga.

Local: Sala Cinépolis, Shopping JK Iguatemi, São Paulo, SP. Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, 2041. São Paulo - São Paulo

Preço para Assinante: R$ 99,90

Preço para não-assinante: R$ 149,90

O que são as pré-estreias dos Estudos de Caso? O meuSucesso.com, em parceria com a rede de cinemas Cinépolis, realiza pré-estreias de produções cinematográficas com toda a qualidade das telas IMAX. Você vivencia a trajetória de grandes empreendedores nacionais com todo o conforto que o cinema pode proporcionar.

Comentários