Finanças

Investir para crescer ou primeiro tentar crescer? - por Márcio Iavelberg

11/11/2015 • por Márcio Iavelberg

O colunista Márcio Iavelberg, especilista em finanças, fala sobre a análise de gastos e os investimentos necessários, mesmo em época de crise

Existe uma confusão grande com a palavra investimento. Enquanto alguns poucos empresários e gestores de empresas pensam nela como algo necessário para assegurar o crescimento, uma maior parte ainda enxerga como mais um gasto e trata o investimento como se fosse uma conta de telefone ou material de escritório. Muitos cortam deliberadamente esse item, sem fazer contas.

Se crescer já não é fácil, imagina em época de crise. Onde os custos são mais altos, por conta de inflação, juros bancários e dissídio (aumento na folha de pagamento). E os clientes colocam o preço como primeiro item a ser analisado antes da compra.

Para garantir um crescimento sustentável, de mais longo prazo, torna-se necessário montar um bom planejamento estratégico para a empresa. Com ele, traçaremos onde gostaríamos de chegar, em quanto tempo e qual o caminho que devemos percorrer.

O planejamento estratégico, muitas vezes, só será viável se alguns investimentos forem feitos. Pode aparecer no planejamento que investimentos com pessoas, máquinas, estrutura física, sistema ou qualquer outro item sejam necessários, para não falar vital, para esse crescimento. 

Para piorar a análise dos empresários indecisos, muitos investimentos só vão surtir resultado mais para frente. Ou, ainda, não trarão benefícios para a empresa ou nem serão percebidos se trouxeram retorno ou não. Alguns não são fáceis de medir, pois não impactam diretamente nas vendas, mas somente no bem estar dos colaboradores, como manter um bom ambiente de trabalho.

Vai chegar uma hora, com o planejamento estratégico em mãos, que teremos que decidir se investiremos para crescer ou se vamos esperar crescer para tomar qualquer decisão de injeção de capital.

Logicamente que ninguém deve tomar decisões precipitadas, no escuro. Decidir sem ter um bom plano em mãos é ser aventureiro, não empresário.Mas não investir, com um bom plano em mãos, é perder o bonde que está passando na porta de casa. Só vai restar lamentar que a crise foi maior do que parecia

 

Comentários

Quem escreve

Márcio Iavelberg

Sócio em Blue Numbers Consultoria Empresarial

Graduado em administração de empresas, com MBA em Gestão Financeira pela USP e Especialização em Direito Tributário pela FGV/SP. É sócio da Blue Numbers Consultoria Financeira, que presta serviço para pequenas e médias empresas. Tem trabalhos realizados em países como Argentina, México, Chile e Colômbia, além do Brasil. Atua como colaborador de artigos de administração e finanças para revistas e sites Exame PME, Você S.A, Investidor Individual, Portal IG, site CanalRh e site Portal Educação, entre outros. Escreveu o livro "Como administrar seu consultório e suas finanças pessoais"

POR Márcio Iavelberg

O que falta para você ser um bom gestor?

14 3