Cada processo de um negócio precisa estar em sintonia para evitar desperdícios e aumentar a qualidade do produto. A responsável para coordenar essa afinidade é a cadeia de suprimentos ou supply chain. Neste artigo, conheça sobre esse sistema e como ele pode melhorar seu negócio.


Proporcionar valor aos clientes é uma premissa básica para os negócios de bons resultados. No entanto, integrar processos para evitar desperdícios e aumentar a qualidade do produto não é tarefa fácil e requer método. Neste artigo, conheça mais sobre a responsável por coordenar essa sintonia, a famosa cadeia de suprimentos ou supply chain e como ela pode melhorar seu negócio. 

A cadeia de suprimentos também é conhecida no Brasil pelo seu equivalente em inglês, supply chain. Conceitualmente, ela pode ser definida como um sistema de organizações, pessoas, atividades, informações e recursos envolvidos na atividade de transportar produtos ou serviços dos fornecedores aos clientes. 

Essa rede interligada de processos que engloba a operação de um negócio é fundamental para o crescimento empresarial. Nos últimos anos, é possível notar que os consumidores têm qualidade como um dos pilares na sua jornada de compra. Consequentemente, isso demanda uma cadeia de suprimentos eficiente e aprimorada, a fim de conquistar novos públicos e fortalecer a imagem da marca.

Distribuição global, empresa de frete internacional de cargas. o gerenciamento da cadeia de suprimentos, o controle de operações logísticas, agilizam seu conceito de logística. ilustração de vetor isolado de coral rosa Vetor grátis

Como gerir a cadeia de suprimentos

Administrar de maneira eficiente uma cadeia de suprimentos passa, necessariamente, por dois fatores básicos: planejamento e controle. Desde organizar as operações dos processos previstos até se manter preparado para eventos inesperados, como alterações climáticas. 

Planejar e controlar todo o percurso dos recursos compreende, entre outras coisas, negociar com fornecedores, providenciar o transporte, garantir o controle de qualidade, gerir o armazenamento e coordenar a distribuição.

De forma geral, é importante que a empresa compreenda 8 aspectos essenciais para estruturar uma cadeia de suprimentos adequada aos seus objetivos. São eles: produção, fornecedor, estoque, localização, transporte, informação, manutenção e equipe de marketing e vendas.

Produção

Na estratégia de produção, o foco está na necessidade do cliente e na demanda do mercado. É preciso levar em consideração o que e quantos produtos precisam ser fabricados, além de quais partes podem ser produzidas internamente ou devem ser terceirizadas. Neste ponto, a capacidade de produção e a qualidade são os principais elementos que vão determinar a satisfação do cliente. 

Fornecedor

No passo seguinte, determina-se onde e como serão produzidos os bens. É a hora de examinar quais são os fornecedores capazes de produzir de forma econômica e eficiente. Alguns fatores podem ser considerados nessa decisão, por exemplo, a velocidade na entrega, a qualidade do produto fornecido e a flexibilidade de produção.

Estoque

A empresa precisa encontrar equilíbrio entre trabalhar com um grande estoque – algo que gera altos custos – ou nenhum estoque – que pode comprometer a capacidade de atender a demanda do mercado. Isso depende do local de armazenagem e do tempo de permanência do produto, principalmente se você trabalhar com bens perecíveis.

Localização

A localização se relaciona à estratégia da empresa, pois a decisão sobre onde implantar a fábrica depende da demanda de mercado e da satisfação dos clientes. Neste caso, você pode analisar os incentivos fiscais oferecidos em cada estado, onde a concorrência está e se o local cumpre com a sua lista de prioridades.

Transporte

Você sabia que, em média, 30% do custo de um produto é compreendido pelo transporte? Só isso já justificaria o motivo de escolher o modo de transporte correto. Mas colocar o prazo de entrega na balança também afeta na hora da escolha.

Informação

A empresa deve utilizar as informações adquiridas internamente e externamente para melhorar o seu processo de gerenciamento da cadeia de suprimentos. Isso vale para os funcionários do negócio, os fornecedores, os consumidores e os clientes finais. Lembre-se que dados e informações são distintos um do outro. Enquanto os dados são os constituintes elementares, a informação útil vem da estruturação e o processamento desses dados.

Manutenção

Além de se atentar aos imprevistos de fatores externos, planeje sua cadeia de suprimentos levando em conta os intervalos para a manutenção do maquinário. Apenas um minuto a mais pode afetar todo o processo. 

Equipe de marketing e vendas

Deixe sua equipe de marketing e vendas inteirada sobre o andamento da produção. Assim, o time consegue criar anúncios, campanhas e fechar vendas com os prazos e as condições da fabricação do produto. 

5 dicas para otimizar seu planejamento 

Existem inúmeros benefícios ao se ter uma cadeia de suprimentos bem planejada, organizada e gerida. Podemos destacar a diferenciação no mercado, melhorias no atendimento, aumento da eficiência e diminuição no nível de serviço. Por isso, separamos 5 dicas para te ajudar a construir a melhor supply chain para o seu negócio e aproveitar os resultados positivos que ela gera.

  1. Tenha um bom controle dos fornecedores. Focar em encontrar o melhor custo-benefício, prezar pela matéria prima de qualidade e prazos aceitáveis garantirão um produto de qualidade nas mãos do consumidor. Não se esqueça de gerir um bom relacionamento com eles. 
Serviço de transporte mundial, distribuição internacional. logística colaborativa, parceiros da cadeia de suprimentos, conceito de otimização de custos de frete. ilustração de vetor isolado de coral rosa Vetor grátis
  1. Padronização de processos. É uma forma de garantir eficiência de ponta a ponta da cadeia. Além disso, a padronização traz inúmeros outros benefícios como redução de custos, mais produtividade e controle e mensuração de dados.
  2. Comunicação. Uma comunicação rápida, direta e eficiente do problema agiliza a resolução da questão.
  3. Automatização dos processos. Usar softwares de gestão para gerenciar os estoques, por exemplo, evita a falha humana e gera dados de forma eficaz para a gestão.
  4. Foco na satisfação do cliente. Uma das dicas mais importantes, a experiência do cliente tem que ser única e diferenciada. O aumento da rentabilidade da organização e sucesso no mercado depende da percepção do cliente sobre a empresa.

Diferenças entre logística e cadeia de suprimentos

A logística se refere à movimentação física de produtos e tem como foco o prazo de entrega. Seus objetivos são a redução de custos e a implantação do modelo de distribuição de produtos e de centros de distribuição. Ela também é considerada um processo interno que pode ser terceirizado.

Já a gestão da cadeia de suprimentos é responsável por questões operacionais relacionadas ao produto, como depósitos, compras e inventários. Sua finalidade é obter vantagem competitiva pelo incentivo à inovação e à diminuição de gastos em diferentes etapas da produção. Por isso, ela é uma área estratégica que atua diretamente com fabricantes, fornecedores e parceiros externos. 

Ou seja, enquanto a logística foca no transporte e no armazenamento de mercadorias, a cadeia de suprimentos abrange todos os aspectos de aquisição e fornecimento de bens.

Dessa forma, a logística inclui: 

Ao passo que a cadeia de suprimentos envolve:

  • compras/aquisição;
  • planejamento de fornecimento;
  • planejamento de demanda;
  • ERP (sistema integrado de gestão empresarial);
  • gestão de estoque;
  • aprimoramento contínuo;
  • fabricação;
  • logística.

Cadeia de suprimentos responsiva x eficiente

Vale destacar que existem dois tipos de cadeia de suprimentos: a responsiva e a eficiente. 

A primeira atende a demanda do cliente assim que lhe é requisitada. No entanto, esta movimentação pode gerar aumento de gastos, o que torna a cadeia menos eficiente. A segunda é a que melhor gerencia a produção e custos, porque tem seu foco no valor. 

Qual das duas é ideal para o seu negócio depende, principalmente, da demanda do produto. Itens que apresentam alto índice de incerteza dos pedidos combinam mais com a cadeia responsiva. Enquanto as commodities, que têm demanda mais previsível e garantida, estão mais para o lado da cadeia eficiente.

Case de sucesso: Multilaser

Fundada em 1987, a Multilaser é uma empresa de legado familiar que, atualmente, conta com Alexandre Ostrowiecki no cargo de CEO. Por causa da sua capacidade de negociação com grandes varejistas, Alexandre se destacou no mundo empreendedor. Além disso, o seu entendimento sobre o impacto da distribuição nos negócios, transformou a Multilaser em referência no mercado B2B.

O seu diferencial competitivo é justamente uma gestão de mercadorias bem executada. Já imaginou que um dos pilares da cadeia de suprimentos pode fazer sua empresa se destacar no mercado? É o que Alexandre Ostrowiecki te ensina na série Grandes Estratégias. Desde riscos e oportunidades, você vai aprender todo o caminho necessário com alguém que passou por isso na prática. Aproveite e aprofunde seus conhecimentos por 7 dias grátis.