Fique Por Dentro

Está no ar o 3º capítulo do Estudo de Caso do Geraldo Rufino

14/10/2014 • por meuSucesso .com

Conheça as estratégias de Geraldo Rufini para superar os desafios no momento de abrir a JR Diesel

O episódio 3 de Geraldo Rufino aborda quais foram os diferenciais fundamentais na evolução da JR Diesel e como eles contribuíram para sua bem sucedida trajetória. Para vencer as dificuldades, foram adotadas diversas estratégias com o intuito de criar um modelo de negócio que fosse referência no setor.

No Talkshow, Sandro Magaldi inicia o bate papo, com Geraldo Rufino, perguntando sobre os cuidados adotados para montar a JR Diesel e como isso influenciou na percepção do mercado e dos concorrentes. “Se você vai se basear em um modelo de negócio, inspire-se só no melhor. Depois vão fazer o mesmo com você. Eu cuido das ‘formiguinhas’, dos detalhes básicos”, explica Rufino.

Como foi visto nos episódios anteriores, o empresário ainda ressalta o princípio da “liderança pelo exemplo”. Para Rufino, o trabalho é como a casa de seus funcionários e, normalmente, tem grande importância para as pessoas - é onde passamos a maior parte do tempo. “O funcionário vê a atitude que tenho com o meu negócio e isso é transmitido. Melhor do qualquer escola é o exemplo porque isso será copiado e repassado.”, comenta.

Outro tema discutido durante o Talkshow foi cumprimento da lei e das obrigações que as empresas se deparam, seja em qualquer segmento. Foi a partir da ética e do compromisso, que a JR Diesel começou a utilizar, desde o princípio, mecanismos sustentáveis durante todo o processo de desmontagem dos caminhões. Os fluídos dos veículos não são despejados no esgoto e, sim, armazenados e revendidos para as empresas de combustível.

A aula do episódio 3 do Estudo de Caso de Geraldo Rufino traz Ricardo Pellegrini, que possui 25 anos de experiência no setor automotivo e passou por empresas como Ford, Toyota e Suzuki. O tema tratado foi “Como melhorar continuamente seu negócio”. “Precisamos praticar a inovação incremental para melhorar continuamente os negócios. Não devemos ficar na zona de conforto e nunca achar que chegamos lá”, analisa Pellegrini.

 

Comentários