O plano de negócios tem como objetivo nortear as ações do empreendedor e é a base para iniciar um novo negócio com mais segurança e confiança. Confira neste artigo os 10 elementos essenciais que fazem parte do plano de negócios.


Abrir um novo negócio é uma tarefa que pode gerar muitas dúvidas para empreendedores iniciantes. A resposta base para sanar essas perguntas é a criação de um plano de negócios. Esse planejamento mapeia o universo externo e interno da empresa e suas particularidades. 

Dessa forma, o empreendedor consegue analisar o cenário em que seu novo negócio está inserido, elaborar seus objetivos e metas e pode, ainda, apresentar o planejamento para investidores como forma de comprovar a base sólida e segura de sua empresa.

A principal consequência da falta de planejamento estratégico e do levantamento de informações importantes é a não sobrevivência no mercado de muitas micro e pequenas após 5 anos. Segundo um estudo da IBGE, divulgado em 2019, seis em cada dez empresas abertas em 2012 encerraram suas atividades em 5 anos. 

Para te auxiliar na trajetória de abrir um novo negócio, existem 10 elementos essenciais que fazem parte do plano de negócios. Vamos te explicar cada um deles.

1. Resumo executivo

O resumo executivo é um documento que sintetiza, de forma clara e eficiente, o que você deseja como empreendedor e comunica os principais resultados das pesquisas realizadas. Ao desenvolver um resumo, fica mais fácil visualizar as descobertas e, assim, tomar decisões e sugerir processos de ações. 

É aconselhado escrever um resumo executivo após a conclusão do plano de negócios. Dessa forma, todas as informações já terão sido recolhidas e será mais fácil formular o documento. Alguns elementos importantes que devem constar no resumo executivo são: visão geral do negócio, definição do público-alvo, descrição do panorama competitivo, definição da estratégia de marketing, visão geral das operações financeiras, apresentação de planos futuros e descrição de projeções gerais para possíveis investidores. 

2. Descrição do negócio

Essa etapa é utilizada para apresentar a estrutura e o funcionamento da empresa a fim de que seja compreendida sua utilidade na cadeia de geração de valor para o mercado. É uma forma rápida de expor o microambiente em que o negócio está inserido e suas características principais.

Algumas informações que podem conter na descrição do negócio são: 

  • Missão, visão e valores;
  • Histórico da empresa (quando, como e por que ela surgiu);
  • Descrição da equipe e do organograma;
  • Dados operacionais;
  • Relação de fornecedores;
  • Despesas fixas e variáveis;
  • Investimento em capital de giro e capital fixo;
  • Estimativa de faturamento.

3. Análise de mercado

A fim de entender o cenário mercadológico em que a sua empresa se insere, é crucial realizar uma análise de mercado. Através de pesquisas para conhecer todos os aspectos do mercado, é possível obter informações preciosas que irão te ajudar a montar uma estratégia eficiente.

Busque se aprofundar em questões sobre a expansão ou saturação do mercado, a existência de demanda suficiente do seu produto ou serviço, o desenvolvimento desse ramo de atividades no país e o público-alvo ideal para sua empresa.

Com a análise de mercado, portanto, você tem maior conhecimento do perfil do seu público-alvo e dos melhores fornecedores. Com isso, você consegue posicionar seu negócio de maneira que ela seja mais promissora do que seus adversários. 

4. Análise de concorrentes

Muitas vezes atrelada à análise de mercado, a análise competitiva busca entender os pontos fortes e fracos dos seus concorrentes e como eles podem afetar seu negócio. Vale ressaltar que existem dois tipos de concorrentes, os diretos e os indiretos, e é importante analisar ambos. Enquanto o direto é aquele que oferece produtos ou serviços iguais aos seus e para o mesmo nicho de mercado, o indireto busca atingir o mesmo público-alvo com outra linha de produtos ou serviços que sejam uma substituição do seu. 

Para determinar quais são seus concorrentes, você pode analisar quão semelhantes ao seu negócio são o produto/serviço, o preço, a forma de divulgação e os locais onde a empresa está presente.

Juntamente com a análise de mercado, a análise de concorrentes também irá te auxiliar a criar uma imagem diferente e vantajosa do seu negócio em relação ao mercado.

5. Análise de contexto

Essa etapa tem como objetivo examinar o macroambiente, ou seja, as variáveis que influenciam sua empresa e não podem ser controladas por você. Essas variáveis fazem parte de 6 grandes ambientes: econômico, sociocultural, tecnológico, demográfico, político-legal e natural. 

6. Metas e objetivos

Depois de levantar informações das três análises, chega o momento de definir metas e objetivos. Muitas vezes essas duas palavras são usadas como sinônimos, mas apresentam grande diferença. 

Os objetivos são a descrição de onde se quer chegar ou o que se quer alcançar. No ambiente corporativo, por exemplo, ampliar a imagem da empresa no mercado pode ser o objetivo. As metas andam junto com os objetivos, visto que elas são as tarefas específicas para atingi-los e possuem prazos definidos, geralmente de curto prazo. Observando o exemplo anterior, as metas seriam criar meios de comunicação entre o público e a empresa e investir em marketing por 8 meses. 

Estabelecer metas e objetivos é uma forma de motivar diariamente as pessoas a realizá-los e concretizá-los. Com uma definição clara desses dois elementos, a empresa consegue, de maneira clara, visualizar e planejar como alcançar seus objetivos e tornar seus negócios prósperos.

7. Plano de design e desenvolvimento

Para construir e manter a imagem da marca, é imprescindível definir elementos como a identidade visual e o design de produtos ou serviços. Com o plano de design é possível descrever, então, como o produto será, suas etapas de produção e propostas de marketing. A partir disso, pode-se criar um planejamento do orçamento do desenvolvimento que será necessário para que a empresa surja e seja de fácil identificação nos meios de comunicação.

8. Plano de operações e gerenciamento

Neste momento, é feita a descrição dos aspectos logísticos da organização, as operações essenciais para o alcance das metas e objetivos, as responsabilidades de cada equipe e as tarefas de cada departamento. A partir disso, você pode relatar as metas dos departamentos e como eles ajudarão para que as grandes metas estabelecidas para a empresa sejam alcançadas. 

9. Fatores financeiros

Os fatores financeiros englobam todos os recursos necessários para que a empresa funcione, como salários, contas de água e luz e impostos. Além disso, nessa etapa também é importante listar quais ferramentas ou outros instrumentos devem ser disponibilizadas para que as equipes cumpram suas metas. 

Gráficos são ferramentas úteis que auxiliam os gestores e possíveis investidores a terem uma visão financeira do todo. Certifique-se que, ao especificar um valor para cada meta, esteja incluída uma breve descrição que justifique a quantidade de capital direcionada. 

Finance and financial performance concept illustration

10. Definição de métricas

Por fim, após a definição de todas as ações estratégicas, é necessário definir métricas que irão avaliar se os objetivos foram atingidos ou não. Isso reflete diretamente no sucesso ou fracasso da empresa. Você pode escolher métricas que sejam medidas em números – como ROI, Ticket Médio e Custo de Aquisição de Clientes (CAC) – ou não – como pesquisas qualitativas com o público ou o setor envolvido. 

Começar um novo negócio não é simples. É preciso muita pesquisa, planejamento e força de vontade para apostar em abrir uma empresa. Além disso, também é preciso se preocupar com a gestão do negócio. E mesmo se instaurando no mercado com poucos recursos e conhecimento, é possível ser um empreendedor de sucesso.

Foi o caso de Evaristo Barauna. Sua trajetória no mundo dos negócios começou em 1981, com pouco entendimento sobre empreendedorismo, mas ao longo dos anos transformou o cenário mercadológico brasileiro. Hoje, com grande experiência e conhecimento dos elementos essenciais para criar um novo negócio, o Grupo Cereal é uma das principais companhias do agronegócio do Brasil.

Se Evaristo conseguiu, você também consegue. No Estudo de Caso, “Um grão de sonho”, Evaristo Barauna conta toda a sua jornada empreendedora, aprofundando as competências necessárias para transformar negócios. Aproveite a plataforma do meuSucesso com 7 dias grátis para acessar esse Estudo de Caso e conhecer um dos maiores nomes do empreendedorismo brasileiro.