Segundo dados da pesquisa Empreendedorismo no Brasil 2019, realizada pela Global Entrepreneurship Monitor, a taxa de empreendedores iniciais foi de 23,3%, 6,4 pontos a mais que no ano anterior. O Brasil, portanto, é palco aberto para novos negócios e, por isso, é preciso saber como empreender do zero.


O crescimento do empreendedorismo no Brasil é uma constante. De acordo com uma pesquisa realizada pela Global Entrepreneurship Monitor, a taxa de novos empreendedores no país em 2019 foi de 23,3%, praticamente 6% a mais que no ano anterior. No entanto, começar um negócio do zero também provém muito da necessidade de sobrevivência, motivada por situações como a transformação digital, as condições político-econômicas e questões como a pandemia.

Para colocar um sonho em prática ou mesmo uma necessidade para se sustentar, é fundamental compreender que existem alguns aspectos que influenciam a prosperidade do empreendedor ao longo do tempo. A única certeza é que os desafios aumentarão, por isso, não basta apenas ter criatividade e resiliência para resolver problemas. Confira alguns passos para começar um negócio do zero, especialmente quando não se possui recursos ou conhecimento para gerí-lo:

Entenda as necessidades do consumidor

Muitas empresas fracassam por desconhecerem as reais necessidades do mercado e oferecerem suas soluções no momento errado. Por isso, entender quais são as dores das pessoas e pensar como e quando você pode solucioná-las é a chave. Durante esse processo de pesquisa, faça análises de mercado considerando aspectos como: Já existem produtos ou serviços que têm uma proposta para resolver o problema do consumidor? Você também pode esboçar suas ideias e explorar com possíveis clientes o que eles acham da sua solução para adequá-la. 

Identifique como proporcionar uma experiência diferenciada

Qualquer que seja seu nicho de atuação, pensar na experiência do cliente é mais relevante que apenas vender um produto ou serviço. É importante observar como proporcionar uma experiência diferenciada e que desperte no indivíduo a vontade de tê-la novamente. Refletir sobre o que de fato seu produto ou serviço representa na vida da pessoa é um bom caminho antes de investir, por exemplo: uma loja de brinquedos pode oferecer diversão e alegria para as crianças; já uma cafeteria pode se relacionar a encontros especiais e conforto. Isso lhe ajudará a planejar a experiência da melhor maneira e identificar quais são os recursos que você precisa e não dispõe. 

Elabore um planejamento estratégico

Para garantir a eficiência da sua operação, é necessário entender quais serão suas iniciativas e metas. Sem um planejamento estratégico, as decisões podem ser muito prejudiciais ao negócio e o que era escassez, piorar ainda mais. Ao estruturar seu planejamento estratégico, você deverá contemplar tudo que mapeou sobre o cliente, o mercado e claro, incluir os objetivos que deseja atingir e as métricas que servirão para acompanhar seu desenvolvimento e os resultados de cada iniciativa. 

Além disso, não se esqueça de incluir etapas de testes para validar protótipos, o modelo de negócio e, assim, direcionar seu investimento corretamente.

Busque parceiros que te complementam

Uma vez que você já entendeu quem é o seu público, a experiência que deseja oferecer a ele e como fazer isso, procure pessoas, instituições e referências que possam contribuir com as suas deficiências. Inclusive, este é um passo que pode ser simultâneo ou anterior ao desenvolvimento do seu planejamento, pois contar com outras opiniões amplia sua visão e fortalece o processo, além de reduzir custos. Por exemplo: se você não sabe como divulgar seu produto ou serviço mas no seu quarteirão há uma gráfica ou restaurante, converse para descobrir como o outro atua e perceber como ajudá-los. Esta prática pode te gerar insights bacanas para aperfeiçoar seu negócio e conseguir permutas ou descontos para aumentar suas vendas.

Caso de sucesso Adriana Barbosa

Um exemplo de empreendedora que passou por todos esses desafios é Adriana Barbosa. Quando estava desempregada e na escassez, começou um negócio do zero. Ela foi à luta e criou a Feira Preta, um dos maiores eventos de cultura preta na América Latina. Já são 20 anos de projeto, oito estados percorridos, quase 2 milhões de pessoas impactadas e uma movimentação de R$ 5,5 milhões como resultado da venda de produtos e serviços pelos mais de 700 expositores participantes da Feira.

O sucesso contribuiu para que, em 2017, Adriana fosse eleita uma das 51 pessoas pretas mais influentes do mundo pela Mipad (Most Influential People of African Descendent), premiação reconhecida pela ONU e suas conquistas incluem outros prêmios como o troféu Grão do Prêmio Empreendedor Social promovido pela Folha de São Paulo em 2019.

Hoje ela lidera a PretaHub, primeira aceleradora de empreendedorismo negro no Brasil e toda sua trajetória de sucesso é reflexo do desenvolvimento de competências comportamentais, técnicas, dados e conhecimento sobre seu mercado.Se ela foi do zero à grandeza, passou por tantas mudanças de legislações, boicotes, falência e até uma enchente que prejudicou a estrutura recém-construída para atender seu público, você também pode. O sonho de criar um negócio do zero com poucos recursos ou mesmo dívidas remanescentes de outros projetos é possível sim.

E sabe o que é melhor? No seu Estudo de Caso, “Na cara e na coragem”, você pode aprender com a própria Adriana Barbosa sobre soluções iniciais para estes cenários, além de algumas estratégias de monetização e oportunidades para potencializar o seu negócio. Aproveite esse conteúdo na plataforma meuSucesso com 7 dias grátis e crie sua oportunidade para sair da arte de se virar e escrever sua história de resultados cada vez maiores e consistentes.