Empreendedorismo

Determinação: como usar essa habilidade para seu negócio

3/12/2015 • por flávia Lippi

A especialista Flávia Lippi estreia a sua coluna com um texto para você refletir muito sobre quem é você!

Se você acredita que QI, coeficiente intelectual , ainda te coloca em uma posição melhor que os outros, este papo é para você.

Se você acredita que talento faz com que você tenha sucesso em seu negócio, este papo também é para você.

Bom, tenho algo para te contar: nem QI e nem talento fazem de você um vencedor ou o seu negócio o melhor.

Aliás, se você tiver os dois e não tiver determinação, você pode ser  um fracassado.

Para ter sucesso na vida , aprender rápido e com facilidade, também não são suficientes.

Então. Talento, Qi, aprender rápido e com facilidade não são suficientes.

Você deve estar se perguntando: bom Flávia, você diminuiu muito minhas possibilidades. O que eu tenho que fazer então?

O que você tem que fazer eu não sei. Mas quero te perguntar uma coisa:

Quem fica e quem desiste? Você, fica ou desiste? Para ficar você tem que ser determinado. Determinação é paixão e perseverança em objetivos de longuíssimo prazo. É agarrar seu futuro, não por um dia, uma semana, um mês e sim por anossssssss. Anos e anos e ainda trabalhar muito para fazer esse futuro se tornar realidade.

Determinação é ter resistência. Sabe aquela energia de maratonista? Você tem esta energia? Ou você é bom em corrida e acha isso o suficiente?

Para ter sucesso é preciso ser maratonista. E para isso, você precisa se preparar.

Você acha que determinação se aprende? Sim, aprende-se. Somos capazes de aprender tudo nesta vida.

No filme Dad I’m Watching  you, na verdade um clip bem curtinho em inglês, quero que observe como o exemplo, e o conhecimento de como fazer, além do entendimento de para quê fazer, leva a uma grande diferença em suas escolhas pessoais e profissionais.

E fazer escolhas, também a partir de exemplos, pode e deve ser a primeira ferramenta para desenvolver a sua determinação.

A ciência conhece muito pouco sobre determinação. Entretanto, o mundo sabe muito sobre determinação e eu como profissional, não bebo apenas da fonte de grandes especialistas ou universidades e cientistas. Eu também bebo da fonte da experiência vivida por muitos e na origem de nossos ancestrais.  Aliás, as culturas milenares como a indiana e chinesa tem muito a ensinar-nos sobre determinação.

Resolvi, juntar aqui para vocês, todos os sucos que fiz destas experiências, para passar uma maneira de aprender e desenvolver a DETERMINAÇÃO.

Determinação é comumente confundida com FOCO.

Apesar de serem muito parecidas, são diferentes.

Você precisa de FOCO para ter determinação e de determinação para ter FOCO.

Aliás, em breve teremos uma aula aqui sobre FOCO. Você é meu convidado.

Eu falei que determinação é ter resistência como um maratonista. E FOCO?

Foco é saber fazer a escolha certa para seu objetivo . É olhar com olhos de lince qual é o ponto que deve ser destacado, durante esta maratona. É o ponto de chegada.

Me expressei bem ? Encontre a meta e vá lá buscar o que é seu.

Eu escolhi 9 ítens que te ajudarão a compreender como desenvolver a

DETERMINAÇÃO:

Talento

Serve apenas para te confortar , no sentido de saber que é algo que efetivamente  você nasceu para fazer. Talento sozinho não te dá determinação, mas conhecer qual o seu talento te ajuda a se conhecer. Talento é inversamente proporcional a determinação. Quanto mais talento, menos determinação. Uiiii. Péssima notícia? Não. Esclarecedora. É que quanto mais talento, mais preguiçoso a gente fica em desafiar algo que temos certeza que sabemos fazer.

Neuroplasticidade

É a capacidade de criar novos neurônios, a partir de novas experiências. No momento que você cria novos neurônios, você expande seu cérebro para que novos conhecimentos possam fazer parte de sua vida

Conhecimento das próprias emoções

Quem sabe como suas emoções prejudicam ou ajudam na tomada de decisão, tem grande chance de terminar a maratona. A falta de conhecimento de quais emoções dominam suas decisões têm efeitos devastadores em situações de pressão, podendo ocasionar a desistência. Quem conhece as próprias emoções têm consciência da influência delas e pode mapear quando ou não entrar em certas situações. Sabe utilizar os sinais para a entrada de ação. Não vivem em alerta constante, ou mapeando conspirações. São capazes de articular os sentimentos para que se tornem ferramentas de crescimento. As pessoas que carecem deste conhecimento, irritam-se facilmente. Podem ter um desequilíbrio em sua vida pessoal e tendem a ter problemas psicosomáticos. Terapias são excelentes ferramentas de crescimento emocional. Procurar um psicólogo para fortalecer seu autoconhecimento pode ser uma boa ideia e procurar um coach pode fortalecer sua determinação.

Autoconhecimento

É diferente de conhecimento das próprias emoções certo? O autoconhecimento parte do princípio que você já tem conhecimento de como as emoções operam positivamente ou negativamente em você, em circunstâncias cotidianas. Quem possui autoconhecimento sabe do que é capaz, solicita ajuda de outras pessoas quando está em dificuldade ou desenvolvendo algo novo, tem um desejo profundo de aprender e crescer. Já quem tem carência deste autoconhecimento, exagera na própria contribuição para seu  negócio e/ou trabalho. Estabelece metas pouco realistas, privilegiam o trabalho em detrimento de outras áreas da vida, não gostam de delegar, não gostam de críticas e nem reconhecem seus próprios erros.

Autocontrole

Ahhhh, isso é de fato algo muito importante. Quem tem  autocontrole, tem a habilidade de resistir ao estresse. Consegue manter seu desempenho até o fim, apesar das pressões, surpresas e frustrações. Essas pessoas evitam comportamentos agressivos. Um maratonista sabe ter autocontrole para chegar a reta final. Definitivamente é uma habilidade que você deve desenvolver. Quem não desenvolveu ainda está sempre reagindo impulsivamente, não encontra saídas aceitáveis para liberar o estresse, responde aos problemas e desafios de forma muito pouco construtiva, defende-se atacando.

Falhar

Esta habilidade eu adoro. Se você não falha ou acha um absurdo falhar, sinto  informar-lhe que você pode fracassar. Carol Dweck, desenvolveu um conceito na universidade de Standford, que chama-se “ Mentalidade de crescimento”. Significa que a crença na habilidade de aprender não é rígida. Ou seja, você não é limitado nisso ou naquilo.  Ela pode mudar com seu esforço pessoal. Tipo neuroplasticidade, mas com uma diferença. Neuroplasticidade é o termo científico para o crescimento de novos neurônios. Mentalidade de crescimento é você ter conhecimento da neuroplasticidade e  utilizar como ferramenta cada vez que receber um desafio e falhar. Quanto mais você recebe um desafio, mais seu cérebro se desenvolve e isso faz com que você jamais perceba uma falha como permanente, entende? A falha passa a ser uma ferramenta de desafio e desenvolvimento. Tipo cubo mágico. Aquele quadrado colorido tridimensional que virou moda por anos. Você não desisitia até todos os lados ficarem certos. Ao contrário, você ficava horas e horas tentando. Ou seja, falhando, falhando, falhando. Entendeu? Falhe , quantas vezes for necessária para acertar. Seu cérebro gosta disso.

Novas ideias , intuição e teste: precisamos usar nossas melhores ideias e nossas mais fortes intuições e precisamos testá-las. Precisamos mensurar o que deu certo e o que não deu certo. E mais do que isso, precisamos estar dispostas a falhar e começar de novo, de novo e de novo com as lições aprendidas sem deixar a amigdala, nosso alarme do cérebro, ficar em disparada.

Comentários

Quem escreve

flávia Lippi

CHO - Chief Health & Happiness Officer em IDHL - INSTITUTO DE DESENVOLVIMENTO HUMANO LIPPI, São Paul

É comunicadora, master coach e trainner internacional, palestrante com 21 anos de experiência em televisão e autora de 8 livros na área de comportamento.