Empreendedorismo

Hoje eu vou dormir de conchinha com o medo de empreender

15/10/2014 • por Bruno Perin

Eu, você, seus amigos e todo mundo têm diversos medos sobre o empreendedorismo

Você já deve ter pensado alguma vez em abrir o seu negócio e junto com essa ideia normalmente refletiu sobre os riscos e medos de começar uma empresa. Você pode planejar o quanto quer crescer e o que visa alcançar. Em um determinado momento, é possível chegar naquele local maravilhoso que sempre almejou, sem esses receios e ser feliz para sempre

Assim, meu querido sonhador de plantão, é normal você estar com medo. Não conheço nenhuma pessoa que possa dizer: eu não tenho medo. Afinal, esse foi o primeiro sentimento do ser humano desde o princípio das civilizações até os dias de hoje. Então, parece-me um pouco estranho acreditar que o medo não estará presente em nossas vidas. Exato, o temor vai grudar em você como aquela mancha de suco de uva que cai na roupa branca, que jamais sairá, não importa o que faça. 

Você se assusta e pergunta-se: “como assim SEMPRE presente?”. Calma que não é tão ruim, mas vamos por partes para você entender. 

Logo no início, quando você começa a empreender, fica com diversos medos perambulando em sua cabeça e pergunta-se: “Será que o mercado vai comprar a minha ideia? Os principais clientes vão entender o que quero passar? As pessoas vão comentar positivamente sobre isso? Alguma empresa vai querer roubar a minha sacada? Terei clientes suficientes no início? O preço é justo?” entre tantas outras dúvidas. Muitas pessoas pensam, neste momento, que depois de passarem por esta etapa, tudo ficará bem e o medo do negócio não dar certo irá embora. 

Uma doce ilusão pensar assim, pois no próximo passo, outras dúvidas virão à sua cabeça, tais como: “Devo continuar no caminho que estou ou devo arriscar em novas oportunidades? O retorno financeiro que tive está sendo bem investido? Contrato mais pessoas e forço um pouco a situação econômica para tentar crescer mais rápido? Invisto no produto ou no Marketing? É o momento de acelerar o crescimento?” e por aí vai mais uma bateria de dúvidas e receios.

Por fim você pensa, “mas quando eu passar por tudo isso, a empresa ganhar projeção, virar um grande negócio, aí sim, neste momento não terei mais medo”. Só posso te dizer – Você continuará com medo. Pois, estará pensando em milhões de clientes e poderá ser alvo da mídia. A competição será forte, as decisões envolverão mais gente e variáveis. As situações, forma e tamanho do medo mudarão; a única coisa que não modificará é que ele jamais vai deixar de existir. 

Então, você reflete: “Nossa! Empreendedores são corajosos mesmo. Pensava que eles não tinham medo”. O fato é que a coragem não é ausência do medo, mas, sim, a decisão de continuar e seguir em frente mesmo com ele. Isso é essencial para empreender. Afinal, como você viu, o medo não deixa nunca o nosso dia-a-dia. Ele deixa-nos alerta, faz pensarmos em novas saídas e evita que o ego tome conta de nossas mentes, entre outros. Portanto, o receio não é de todo o ruim e vai estar sempre com todos nós. 

Logo, vale a pena pensar: “Querido medo, estaremos juntos de qualquer jeito. Então, venha aqui deitar comigo de conchinha que amanhã teremos um dia cheio de desafios e vamos continuar adiante. Boa noite!”.

Comentários

Quem escreve

Bruno Perin

www.freelifestyle.com.br em Livro - A Revolução das Startups

Bruno Perin, empreendedor, consultor, palestrante e escritor. Graduado em administração de empresas pela UFSM, especialista em Marketing Experience, pesquisador em Neuromarketing e Startups. Integrante do grupo dos 200 maiores talentos brasileiros pelo Virtvs Group, é referência marcante da nova geração no marketing, sendo responsável por várias campanhas impactantes nas redes sociais em 2011/12. Com experiências em palestras nacionais e internacionais, é considerado fomentador do empreendedorismo e da disseminação do conceito de startup no país. Conectado com os mentores desse tipo de programa no mundo, estuda o implemento e o funcionamento das startups, sendo apontado como evangelista da Geração Y/Z. É o grande nome do Neuroempreendedorismo no Brasil e um dos maiores incentivadores atualmente.