Empreendedorismo

Hoje quero conversar com você sobre a qualidade do seu olhar - por Ricardo Farah

5/08/2016 • por Ricardo Farah

Você é empreendedor? Teve coragem de iniciar seu próprio negócio? Qual o olho que lhe guiou na sua visão?

Conta uma antiga lenda que nos primórdios da humanidade, os deuses criaram todos os animais com dois olhos e apenas os homens-gigantes foram criados com um único olho. Eram chamados de ciclopes, cujo significado era olhos redondos. Estes, reclamaram aos deuses que estavam sendo discriminados e, queixosos, apontaram que todos os animais tinham um par de olhos. Diz a lenda, que os deuses, então, se compadeceram dos homens e a próxima geração deles foi criada com dois olhos. Os antigos manuscritos relatam que os deuses advertiram essa nova geração humana, dizendo-lhes que os dois olhos que, agora recebiam eram uma benção e uma maldição ao mesmo tempo. Poderiam olhar com o “olho bom” ou com o “olho mau”...

E, aqui retomo minha fala com você sobre a qualidade de seu olhar. Você é empreendedor? Teve coragem de iniciar seu próprio negócio? Qual o olho que lhe guiou na sua visão? E que o animou a enfrentar até agora todas as dificuldades?

A analogia que quero fazer é que a qualidade do olhar é que dá significado as coisas. As coisas e as situações são o que são. Sem tirar nem por. Para tornar mais claro o que quero dizer vou me valer do exemplo já conhecido da meia garrafa de agua. Uma meia garrafa de água é apenas uma meia garrafa de água. Nem mais nem menos, mas a qualidade do seu olhar é que fará a diferença.

O pessimista dirá: “Droga, uma garrafa com pouca água!” Já o otimista dirá: “Uau, que sorte meia garrafa d’água!”

É a esta qualidade do olhar que quero referir-me. E, ela faz toda a diferença na vida do empreendedor ao lidar com as situações do dia a dia. Como encarar os desafios? Como oportunidades de crescimento ou como impedimento a ele? Uma venda ou uma negociação não tão bem sucedida podem ser vistas como derrota ou como aprendizado para uma próxima. O que você prefere?

Que olho você tem usado?  Prefiro usar aquele que faz parte da resiliência, que me permite acreditar nas sempre nascentes oportunidades, que me faz acreditar que estou em meu negócio para desenvolve-lo e ao mesmo tempo as pessoas que fazem parte dele. Que me faz acreditar que tudo que me acontece tem um significado e serve para meu crescimento pessoal e profissional. Aquele olhar que me impulsiona e não me paralisa. Que me faz vencer meus medos, superando-os. Que me faz buscar ajuda quando preciso.

Sou responsável pela minha benção ou pela minha maldição...é sempre uma questão de escolha.

Escolheu?

 Até o nosso próximo papo.

Comentários

Quem escreve

Ricardo Farah

Sócio-Diretor em R.Farah Consultores - Coaching

Com cerca de trinta anos de experiência em consultoria e planejamento, desenvolvimento e condução de treinamentos, Ricardo Farah é diretor da R. Farah Consultores e presta coach, consultoria e treinamento à empresas. Além disso, é professor sênior da ESPM, UFRJ, IBMEC, entre outras instituições.