Gestão

A "nova era" do Franchising

26/10/2016 • por Adir Ribeiro

A alta velocidade e a força com que as mudanças acontecem nos colocam dentro de um ambiente de alta imprevisibilidade

Estamos sempre focados em entender o contexto dos negócios para podermos oferecer soluções adequadas ao mercado de Franchising & Varejo e, dessa forma, acreditamos que o atual momento que vivemos é bastante desafiador para todos os gestores de negócios e, em especial, Redes de Franquias e também de Varejo, sejam por intermédio de unidades próprias ou operadas por terceiros, em outros formatos ou Canais de Vendas.

O sistema de Franchising brasileiro vem apresentando taxas de crescimento bastante relevantes nos últimos anos, mas também não está imune às intempéries da economia nacional nem tampouco ao cenário político do país. Essas variáveis externas, embora tenham forte interferência nos resultados das empresas, não são controláveis na sua essência, exigindo dos gestores estarem atualizados e bem informados para poderem tomar suas decisões de negócios de forma embasada e alinhada.

Porém, outra grande transformação vem ocorrendo na sociedade em geral, dentro de um ambiente denominado como Mundo VUCA (The VUCA World) – sigla oriunda do vocabulário militar americano e que deriva das palavras em inglês:

  • Volatility (volatilidade)
  • Uncertainty (incerteza)
  • Complexity (complexidade)
  • Ambiguity (ambiguidade)

A alta velocidade e a força com que as mudanças acontecem nos colocam dentro de um ambiente de alta imprevisibilidade, no qual muitos são os fatores envolvidos nas transformações, influenciados ainda por vários e diferentes pontos de vista que podem ser utilizados para entender e analisar os fatos.

Ou seja: tudo isso implica que, no atual mundo dos negócios, está cada vez mais difícil tomar decisões. Não existem mais verdades totalmente absolutas e os pilares do sistema de Franchising devem estar cada vez mais sedimentados para podermos enfrentar esse mundo VUCA.

Além disso, várias são as preocupações dos Gestores de Redes atualmente, as quais listamos a seguir de maneira ampla:

  1. Performance:
    • Produtividade, modelos de negócios, expansão e fluxo de caixa
  2. Gestão:
    • Tecnologia, Abastecimento, Ebtida e Gestão Empresarial pela Rede
  3. Suporte:
    • Efetividade, Segmentação, Capacitação e Comunicação
  4. Cultura:
    • Engajamento, Comitês, Gestão de Conflitos e Accountability

Esses “aspectos críticos” são bastante relevantes para o sucesso dos negócios em Redes de Franquias e dentro de um mundo cada vez mais complexo, acelerado e ambíguo, é preciso que essas bases tenham condições de se adaptar às novas exigências.

Portanto, é preciso entender as transformações que estão ocorrendo: o fato é que todas essas mudanças implicam na necessidade da adoção de novos comportamentos e no desenvolvimento de novas competências, tanto pelas Franqueadoras como pelos seus Franqueados.

E é neste sentido de evolução,que surge o que denominamos de Nova Era do Franchising, pois acreditamos que a mudança de comportamento e das crenças pode trazer importantes reflexões sobre esse atual contexto. E, seguindo esta linha de raciocínio, listamos então vários fatores e seus contrapontos, os quais atualmente fazem mais sentido para a realidade na qual estamos inseridos. Obviamente, a avaliação desses fatores precisa ser bem realizada e entendida na sua essência - a lista de “Cada Vez MENOS / MAIS” deve servir de Check-list para análise e discussão dos Gestores com suas equipes, auxiliando-os na construção de um Plano de Ações para aqueles itens que são relevantes e façam sentido para o seu momento de negócio.

 

 

 

Algumas explicações para essa lista de Fatores:

  • Menos controle e mais conscientização: apesar de entender a importância dos controles, é preciso reconhecer que não há como controlar algo dentro de uma rede se antes não houver um trabalho forte de conscientização;
  • Menos “barriga no balcão” e mais multifranqueado: o franqueado ‘tradicional’ continua e continuará sempre sendo importante, mas é preciso abrir os olhos para a representatividade dos multifranqueados – segundo dados da IFA (International Franchising Association), 54% dos franqueados americanos já são multifranqueados – fato este que inexoravelmente exige novos comportamentos por parte dos franqueadores;
  • Menos regras e normas e mais crenças e propósitos: as relações atuais mudaram, o comportamento do profissional (e também do franqueado) mudou – aos millennials não se impõem mais regras. Ao contrário, é preciso mais comunicação e é preciso estar ciente que esta corre de forma horizontal;
  • Menos pirotecnia e mais autenticidade: ou seja, menos palestras motivacionais. Se um franqueador quer que sua rede performe, é preciso dar mais conteúdos que funcionem. É preciso que sua equipe de campo esteja mais preparada. O futuro da Consultoria de Campo passa por 2 caminhos: coaching e consultores cada vez mais empreendedores – até para que saibam melhor como se comunicar e transmitir mais autenticidade em seu discurso junto aos franqueados.

Portanto, num mundo cada vez mais VUCA, colocar tudo isso em prática não é simples, mas é necessário. O exemplo deve vir do Franqueador e de suas Equipes, na condução dessa evolução e na busca de um alinhamento efetivo entre todos os integrantes da Rede, proporcionando melhores resultados para todos.

Comentários

Quem escreve

Adir Ribeiro

Presidente em Praxis Business, São Paulo

Presidente e Fundador Praxis Business Especialista em Gestão Estratégica de Franchising & Varejo, atua há mais de 20 anos nesses mercados. Treinou mais de 50 mil pessoas. É coautor dos livros: Gestão Estratégica do Franchising – Como construir redes de franquias de sucesso e Franchising – Uma Estratégia para a Expansão de Negócios. Colunista e Mentor da Endeavor, Expert do Meu Sucesso.com, Apoiador e Voluntário do Instituto CEO do Futuro (icf.org.br), Consultor Técnico da ABF para a NRF (maior evento do varejo mundial, que acontece em Nova York – EUA), Professor de grandes Escolas de Negócios no Brasil: FGV, FIA/Provar, ABF e Insper.