Pessoas

Será que você já atingiu seu ponto máximo de desempenho?

16/09/2016 • por Paulo Campos

Muitas vezes não costumamos a pedir ajuda quando precisamos. Escondemos nossas inadequações e vulnerabilidades por medo de sermos desmascarados

Tenho conversados com alguns alunos e clientes sobre um tipo de comportamento típico nos atuais líderes: a ansiedade de desempenho. Todo mundo se sente incapaz em muitas áreas de nossa vida, preso em estágios diferentes e em situações distintas da vida. Quando nos sentimos competentes e capazes a confiança aumenta. Pense e reflita um pouco sobre essas 5 perguntas:

1.Você se sente competente no seu trabalho?

2.Você entendeu seu papel e objetivo no trabalho, e você tem uma ideia bem estabelecida da estrutura social ali?

3.Você sente que sabe o que precisa para vencer e avançar?

4.Você sente que tem talento, conhecimento, habilidades e capacidades necessárias para alcançar as suas metas e as da sua empresa?

5.Você sente que está dominando seu trabalho, aprendendo depressa e contribuindo de modo constante com alto nível e excelência?

Acredito que em boa parte das perguntas sua resposta foi não ou talvez!

O desejo de aprender e dominar nossa vida é essencial para nossa confiança e felicidade. Se você quer aumentar sua habilidade de ganhar mais competência precisa avaliar por que quer aprender e o que te impedira de fazer isso. Qual o novo conhecimento, capacidade ou habilidade você pode começar a dominar para se tornar mais competente no que faz e aumentar seu sucesso na vida?

A competência pessoal pode ser descrita como a nossa capacidade de entender, ter um bom desempenho e dominar nosso mundo. Entender, Desempenhar e Dominar. Se você tiver confiança de que pode fazer essas 3 coisas ao enfrentar desafios e oportunidades na vida, você irá se sentir competente. Precisamos aprender mais e aprender mais depressa do que nunca para não afundarmos.

Muitas vezes não costumamos a pedir ajuda quando precisamos. Escondemos nossas inadequações e vulnerabilidades por medo de sermos desmascarados. Rapidamente nos responsabilizamos por diversas tarefas para agradar a todos, o que não permite que tenhamos a especialização que leva ao domínio. A falta de competência no trabalho – ou qualquer área da sua vida pode prejudicar seriamente seu futuro. Lembre-se:

Seu nível de competência determina a que você dá atenção;

Seu nível de competência determina as tarefas e atividades que escolhe;

Seu nível de competência determina seu esforço;

Seu nível de competência determina quão adaptável e resiliente você é;

E principalmente, seu nível de competência determina que tipo de líder você será!

Aqui vai uma Dicaduka: um dos exercícios mais poderosos que conheço para recarregar a sua autoestima é sentar e escrever todas as suas conquistas que alcançou na última década. O nome desse exercício de “lembranças de vitórias”. Busque todos os pequenos sucessos obtidos para chegar onde hoje você está. Quais foram as habilidades que desenvolveu, os livros que leu, os cursos que fez, os elogios que recebeu em virtude do seu progresso...

A sensação de orgulho e progresso é essencial para se sentir competente. Muitas vezes não reservamos um tempo para dar a nós mesmos créditos pelo que aprendemos, nunca sentiremos que progredimos. Ao longo da vida você teve milhares de vitórias e na maioria delas você mal percebeu. Se não reconhecermos o que alcançamos na vida, mesmos as pequenas coisas, então nunca nos sentiremos realizados.

Comentários

Quem escreve

Paulo Campos

Professor em Insper

Tem 20 anos de experiência em soluções de aprendizagem (Ensinar, Aprender e Liderar). Desde 2000 já realizou mais de 1.800 palestras para 80 mil pessoas nos temas relacionados ao comportamento humano nas áreas de liderança, aprendizado de adultos e gestão de pessoas. É Mestre em Psicologia da Educação/PUC, Pós-graduado em Marketing e Comunicação/ESPM.

POR Paulo Campos

A genialidade da ignorância

1 0