A cultura da inovação passa por processos, práticas e valores compartilhados que favorecem a atitude inovadora. Para que a empresa crie processos de fomento à cultura da inovação é necessário que exista a ausência de comportamentos, regras e ambientes que impeçam o desenvolvimento natural das pessoas em sugerir melhorias e inovações.


Elaborar um projeto de inovação é transformar ideias criativas em negócios, produtos ou serviços de forma que se tornem mais eficazes. Tendo a criatividade como primordial, o objetivo de um projeto inovador é solucionar problemas. Eles representam a busca por novos caminhos e novas estratégias para alcançar melhores resultados em um processo.

Independentemente do tipo, seja ele produto, processo ou negócio, é necessário que ela seja implementada de maneira sistêmica e que, para tanto, se crie a cultura da inovação, sendo fundamental que todas as relações e tomadas de decisão da organização tenham esse mindset.

Criar a cultura da inovação

Se em um cenário normal já se faz necessário pensar em inovar em todas as atividades da empresa, em momentos de crise sairão na frente as empresas que conseguirem implementar a “cultura” da inovação. Com isso enraizado dentro da companhia, serão capazes de melhorar a eficiência do negócio. Para criar essa cultura, invista em:

• capacitação de todas as equipes;

• recompensa às ideias;

• incentivo à participação multidisciplinar;

• não punição do erro (isso impede a inovação);

• atenção às mudanças de mercado, visão de futuro.

Como criar processos de fomento à cultura da inovação

A cultura da inovação passa por processos, práticas e valores compartilhados que favorecem a atitude inovadora. Para que a empresa crie processos de fomento à essa cultura é necessário que exista a ausência de comportamentos, regras e ambientes que impeçam o desenvolvimento natural das pessoas em sugerir melhorias e inovações, aliada a um conjunto de visões, procedimentos e recursos que potencializam as iniciativas.

Empresas hierárquicas têm dificuldade de mudanças e de fomento à inovação, pois estão focadas em processos da administração tradicional. Já uma empresa mais horizontal, criativa, orgânica e intuitiva terá mais facilidade de fomentar processos da cultura da inovação.

Como implementar a inovação sistêmica

1. Defina o objetivo claramente

Esse não deve ser um processo presente em apenas um departamento. Todas as áreas devem trabalhar o conceito de inovação sistêmica tendo projetos que contribuam para que a empresa alcance objetivos macro.

2. Por onde começar?

Quando pensamos em inovação, a primeira coisa que nos vem à cabeça é um novo produto ou serviço. No entanto, antes de pensar em criar, colete informações que possam contribuir e fomentar sugestões alinhadas aos objetivos da empresa.

3. Inovação com propulsor de mudança

Uma cultura inovadora contribui para que os profissionais sejam mais flexíveis e tenham uma curiosidade maior sobre o mundo exterior, focando em novas oportunidades. 

4. Como criar processos de fomento à cultura

É necessário que exista a ausência de comportamentos, regras e ambientes que impeçam o desenvolvimento natural das pessoas em sugerir melhorias e inovações, aliada a um conjunto de visões, procedimentos e recursos que potencializam as iniciativas.

5. Erre rápido, aprenda e corrija rápido

A velocidade com que as mudanças ocorrem e a necessidade de inovação trazem uma dinâmica mais intensa e ágil. Dentro desta perspectiva, um conceito recente (o “lean startup”), proporciona a oportunidade de criar produtos mínimos viáveis (MVP – minimum viable product) para o cliente testar.

 6. Observe o mercado para inovar

• Faça a análise dos pontos fortes e fracos da empresa, dentro da perspectiva do processo de inovação;

• Identifique dentro de todos da equipe quem pode ser o sponsor do processo;

• Identifique qual é o desafio a ser alcançado e quais esforços de inovação se fazem necessários;

• Desenhar, estruturar e operacionalizar o processo;

• Abra a empresa para novas possibilidades.

Disrupção e inovação sistêmica são temas que estão sendo profundamente estudados na nova série do meuSucesso, (Des)construção, que conta a trajetória de Alexandre Frankel, um empreendedor disruptivo que tudo que faz, faz com altas doses de inovação. Você não pode perder! Ainda não é assinante? Experimente grátis por 7 dias!

Aline W de Paula