Empreendedorismo

Como as empresas de sucesso fazem?

17/11/2014 • por Paola Tucunduva

Para obter o êxito, muitas empresas adotam estratégias diferentes

Escrevo ese artigo enquanto estou aqui na fila da Apple de Miami para comprar meu Iphone 6. Minutos antes, estava refletindo sobre o que essa empresa faz para levar mais de 200 pessoas diariamente a aguardarem enfileirados por 4 horas no mínimo (cena que se repete há mais de 30 dias em todas as suas lojas nos EUA) a fim de gastar felizes U$500, em média. Será que esses empresários têm algo a nos ensinar?

Importante ressaltar que não sou superfã da Apple. Comprei meu primeiro Iphone há um ano e mantenho meu Ipad 2 há vários anos, usando bastante. Em alguns momentos, a Apple até me irrita, mas como amo o empreendedorismo decidi analisar mais detalhadamente esse exemplo, para aprendermos com ele.

Antes, vou relembrar com você as 10 dicas de David Portes, o camelô que virou empresário milionário: 

  1. tirar idéias do papel
  2. qualificar seus funcionários
  3. sorrir para todos
  4. buscar conhecimento
  5. ver oportunidades até no fracasso
  6. ser um profissional diferente, divertido e dinâmico
  7. observar a concorrência pelo retrovisor
  8. oferecer mimos aos clientes
  9. não ter preguiça
  10. fazer os clientes venderem por você na internet

Eu diria que os profissionais da Apple são muito bons em praticamente todos esses itens acima. Pense comigo. Tirar as idéias do papel? Eles são experts nisso. Qual empresa conseguiu criar produtos como Ipod, Ipad e Iphone em apenas alguns anos? E foram pioneiros em todos. Além disso, a constante preocupação com os concorrentes nos mostra que estão olhando para eles pelo retrovisor. Importante ressaltar, no entanto, que, no quesito tamanho do telefone, o Iphone 6 Plus não há mera semelhança com a Samsung.

Quanto à equipe, todos os vendedores me parecem muito bem treinados, diferenciados e divertidos. Quanto ao sorriso, daria nota 6 para eles, talvez inspirados por Steve Jobs, que não me pareceu um homem que movimentasse muito os músculos do rosto.

A propósito, até mesmo aqueles que não são membros do clube de fanboys da Apple têm que admitir: a companhia de Steve Jobs tem um vasto histórico de produtos que mudaram os rumos da indústria da tecnologia e entretenimento. Com o iPhone, iPad, iMac e iPod, a companhia se tornou a mais valiosa do mundo. Mas, nem sempre, só de sucesso e glamour ela viveu! Tanto que um artigo do Canaltech separou dez produtos que foram completos fiascos, mostrando justamente o outro lado que poucos conhecem ou ouviram falar: que a Apple aprendeu com o fracasso. Ficou curioso? Leia no link a integra do artigo

Importante comentar que é um bom mimo oferecer aos seus clientes, em todas as suas lojas, free wifi de ótima qualidade e fácil acesso, assim como deixar os produtos expostos desbloqueados, para que qualquer um utilize à vontade. Sem contar que, se você tiver qualquer problema com um produto deles e for à loja, rapidamente trocam por um novo sem nenhuma burocracia.

E sabe um quesito em que eles ganham nota 1.000? Fazer os clientes venderem seus produtos na internet. São fantásticos como nenhuma outra empresa. Parece-me que a Apple não tem clientes, e sim fãs. Claro, nada disso seria possível se seus produtos não fossem de ótima qualidade e muito fáceis de manejar.

O que você acha? Vou adorar ler seu comentário. Concorda comigo? Discorda? O que a Apple tem a ensinar sobre o que fazer e o que não fazer?

Comentários

Quem escreve

Paola Tucunduva

Apresentadora em Alma do Negócio/Evolution training e Rotovic Lavanderia, São Paulo

Paola Tucunduva é empreendedora, graduada em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas, pós-graduada pelo CEAG-FGV em finanças e Marketing. Paola é apresentadora do programa Alma do Negócio, da Rádio Mundial FM 95.7. Também é facilitadora do Empretec - Sebrae, professora da Fundação Dom Cabral (FDC). Paola é sócia - diretora da Evolution Training e Rotovic Lavanderia; e presidente do Conselho da ANEL (Associação Nacional das Lavanderias). Paola foi indicada e finalista de importantes prêmios, como Woman Business Award 2008 (ONU/UNCTAD) e o Prêmio Mulher de Negócio 2009 (SEBRAE).