Finanças

O que é e como calcular a margem de contribuição

10/12/2014 • por meuSucesso .com

Em poucas palavras, a margem de contribuição pode ser definida também como ganho bruto sobre as vendas

Para chegar, de maneira precisa, a dados de grande importância para qualquer negócio, como o Ponto de Equilíbrio Contábil, e definir preços, um fator é crucial: a margem de contribuição. O assunto pode representar uma dor de cabeça para muitos administradores (e, realmente, fazer a conta de maneira correta não é a coisa mais simples do mundo). Mas, uma vez desvendada, pode ser útil para organizar as finanças e oferecer estabilidade aos negócios, além de ser uma maneira de controlar as contas da organização e, como dito, melhor precificar os produtos.

Em poucas palavras, a margem de contribuição pode ser definida também como ganho bruto sobre as vendas, ou seja, quanto sobra das vendas para que a empresa possa pagar suas despesas fixas e gerar lucro. Nessa conta, é importante reforçar, o valor a ser considerado já tem abatido sobre o valor de venda (preço do produto ao consumidor) as despesas variáveis, que são aquelas vinculadas diretamente à comercialização (impostos, taxas etc.).

Analisando o termos, temos que:

Margem - remete-se à diferença entre valor de venda (preço de venda) e os valores dos custos e das despesas específicas, também conhecidos como custos variáveis e despesas variáveis da venda. 

Contribuição - refere-se à parcela do valor arrecadado nas vendas que contribui para o pagamento das despesas fixas e também para o lucro.  

A margem de contribuição, portanto, é o valor das vendas menos o valor dos custos e despesas variáveis.

Esta fórmula pode exemplificar melhor: 

Margem de Contribuição = Valor das Vendas – (Custos Variáveis + Despesas Variáveis)

Uma dica importante para esse cálculo é considerar valores anuais, em vez de mensais, já que as vendas podem aumentar ou diminuir em função da época. Um panorama de 12 meses pode ser mais fidedigno. O que não quer dizer que, caso você precise de uma projeção referente a um período mais curto, não seja possível fazer o cálculo.

Entendendo o que é variável e o que é fixo

Um fator importante para o cálculo preciso da margem de contribuição é a correta definição do que é variável e o que é fixo. Muita gente se confunde e acha, por exemplo, que a conta de energia, porque pode ser mais cara ou mais barata a cada mês, é variável. Mas, na verdade, é uma despesa fixa, porque, embora o valor possa mudar, será sempre uma conta a ser paga, independente de serem realizadas vendas pela empresa. Já despesas como impostos e comissões de vendedores, embora tenham tarifas, geralmente, fixas, podem ser pagar e maior ou menor quantidade, dependendo do volume de vendas.

Então, recapitulando, temos que: é variável toda aquela despesa ou custo que depender da realização de vendas para existir. E é fixo tudo aquilo que tem de ser pago independente de qualquer coisa (energia, aluguel do ponto comercial, salários dos colaboradores etc.). 

Comentários

Leia também